Site responsivo: uma nova ordem mundial!

Não chega a ser uma novidade para ninguém o fato de, atualmente, boa parte do acesso à internet ser realizado através de dispositivos móveis. Mas, o que muita gente não sabe, é que a otimização dos layouts dos sites para visualização em smartphones, tablets e afins passou a contar pontos valiosos na eterna corrida pelo topo do ranking de buscas online. Ainda não tinha conhecimento disso? Nem imagina o que é um site responsivo? Então, preste atenção no que iremos te contar…

Como a busca do Google passou a funcionar e onde o site responsivo entra nisso?

O Google possui um mecanismo interno em suas buscas, que cruza inúmeras informações quando necessita listar resultados para algo que foi pesquisado. Entre os itens considerados relevantes nessa varredura, passaram a ser considerados desde 21/04, a capacidade automática de ajuste interno dos sites para exibição em celulares e tablets, tanto em dimensões, disposição e fluidez de conteúdo disponibilizado para as versões móveis dos navegadores, quanto na melhoria de performance de conexão do site para utilização neste tipo de dispositivo.

Falando de uma forma ainda mais objetiva: o Google passou a verificar se a empresa teve o cuidado de preparar uma versão do site que funcione corretamente em dispositivos móveis, com um design específico para tal, e com otimização para que seja carregado de forma satisfatória utilizando internet móvel.

Esses são os famosos sites responsivos, que saíram da classificação “artigo de luxo” que ocupavam há alguns anos atrás, para se tornar vitais à qualquer pessoa ou organização que preze ter seu endereço online bem rankeado no Google.

Inclusive, foi disponibilizada pelo próprio Google, uma ferramenta capaz de informar se determinado site possui essa capacidade responsiva, ou não.

Apesar de ter sido divulgada de maneira mais intensa somente nos últimos dias, essa alteração vinha sendo planejada há meses. Desde novembro do ano passado, o Google alertava sobre a necessidade dos desenvolvedores adaptarem seus sites para a realidade mobile friendly (onde são considerados os pontos que descrevemos acima, além de alguns outros que contribuem para uma melhor experiência do usuário quando navega no site através do celular). Três meses depois, essas mudanças passam a interferir diretamente nas buscas realizadas por dispositivos móveis, afetando uma fatia considerável dos “clientes” do Google.

Mais do que mudar para não deixar de ser encontrado nas buscas, é necessário pensar que oferecer um site responsivo para os seus visitantes faz com que a “estadia” deles em sua página seja mais agradável e satisfatória. Se o seu negócio ainda não conta com esse tipo de tecnologia, fale conosco, e permita-nos ajudar!